José Correia

José Correia

José Correia nasce em França, na região de Bourgogne mais propriamente em Le Creusot, vindo definitivamente para Portugal com apenas 4 anos de idade.
Vive em várias regiões do Norte do país, até se radicar com a sua família em Ribeira de Pena, uma pequena mas apaixonante vila transmontana, onde vive grande parte da sua infância e adolescência.
Cedo manifesta curiosidade e interesse em formas de expressão artística, sobretudo relacionadas com a música. Prima sempre por uma busca empenhada de música alternativa, constituindo nesse mesmo período, as suas principais influências musicais.
Como autodidata, dedica-se inicialmente à guitarra elétrica e forma juntamente com o seu grupo de pares, uma banda de música alternativa, que se dedica inteiramente à composição de temas originais.
Em 1994, segue a via académica na área do ensino da música a crianças e adolescentes e é no Conservatório Regional de Vila Nova de Gaia, que faz toda a sua formação musical e instrumental.
É nessa altura que adquire a sua primeira guitarra clássica e aprofunda por isso a sua técnica instrumental neste instrumento e também em instrumentos de sopro. Termina a sua licenciatura no ano de 1998 e inicia a sua atividade como Professor de Educação Musical em 1999.
A sua profissão obriga-o a percorrer o país de Norte a Sul, agregando experiências culturais diferentes, muito enriquecedoras para a sua atividade musical favorita – a composição, passando vários anos a compor a solo.
Reside desde 2007 na cidade do Porto e é precisamente neste ano, que juntamente com Nuno Silva (elemento de Addūcantur) decide agregar ideias musicais e dar início a um projeto musical, que foi origem daquilo que é hoje Addūcantur.
Curioso e sempre disposto a evoluir como músico, em 2008 iniciou o estudo da Guitarra Clássica dedilhada (estudos eruditos) e em 2010 ingressa diretamente no 6º grau, na Escola de Música Óscar da Silva. É neste mesmo contexto, que tem experiências num Ensemble e Trio de Guitarra Clássica.
Participa no Curso de Interpretação (masterclass) de Guitarra Clássica com Pedro Rodrigues, reconhecido guitarrista/concertista, vencedor de prémios como o Artist’s International Auditions (Nova Iorque); Concorso Sor (Roma); Curso de Aperfeiçoamento de Prática e Composição, com o conceituado compositor Pierre Van Hauwe; várias residências musicais e workshops, de Didgeridoo, DanMoi, Overtone entre outros.
Tem como principais referências a família e amigos e como influências musicais mais diretas, Leo Brower; Heitor Villa Lobos; John Williams; Kazuhito Yamashita; J.S.Bach; Djivan Gasparyan; Gevorg Dabagyan; Dead Can Dance; Dapher Youssef; Anouar Braem; Avishae Cohen; Nyaz; Erkan Ogur; Bernardo Sassetti; Rodrigo Leão (…)
Atualmente, um dos fundadores de Addūcantur, músico, compositor, estuda e interpreta ainda, embora como autodidata, Duduk; Perdesiz Guitar (Guitarra acústica fretless).

Curiosidades

Guitarra Clássica é um instrumento  utilizado em quase todos os géneros e estilos musicais. Ao longo do tempo este instrumento sofreu grandes alterações, a sua configuração moderna e desenho foi concebido em Espanha.

Perdesiz Guitar (Guitarra Acústica Fretless), com a mesma configuração da guitarra clássica, distingue-se pela tipologia de cordas, é um instrumento sobretudo melódico com uma escala/braço, que não possui qualquer trasto, o que permite uma execução microtonal, muito comum em países e culturas como os da Turquia ou Índia.

Duduk, é um instrumento tradicional da Arménia, popular entre os povos do Cáucaso, Médio Oriente e Leste Europeu. É um instrumento da família dos sopros madeiras, de palheta dupla, que remonta acerca de 3.000 anos.

Flauta doce ou Flauta de bisel Contralto produz um timbre muito melodioso. Este instrumento tem origem em antigos instrumentos folclóricos que ainda podem ser encontrados em diversas partes da Europa. Foi o instrumento musical mais popular na Idade Média.